Já escolheu o seu travesseiro?

post travesseiros

Uma boa noite de sono pode ser definida não só pela cama mas também pelo travesseiro. Quando o travesseiro não é adequado para o seu corpo e seus hábitos noturnos, alguns sintomas como dores no corpo e aquela sensação de ter dormido mal podem surgir ao longo do tempo. Então nós reunimos alguns tipos de travesseiros para ajudar na sua escolha.

Travesseiro de espuma

É bem macio e precisa ser denso para manter a cabeça na altura correta, pode perder volume ao longo do tempo e não deve ser lavado.

Travesseiro de penas

É preciso afofar o travesseiro de penas todos os dias, por ser muito leve e macio as penas tendem a acumular em um dos lados, causando afundamento podendo gerar desconforto.

Travesseiro de pluma de ganso

A pluma de ganso deixa o travesseiro macio sem causar deformação. Porém quem sofre de alergias respiratórias deve ter cuidado.

Travesseiro de algodão

É o travesseiro mais indicado pois não esquenta e não solta fiapos, sem causar perigo em alérgicos.

Advertisements

Pilates com Bola

pilates com bola

Os benefícios do Pilates, associados aos exercícios com a bola, tornam a aula ainda mais divertida. Essa prática tonifica, define e melhora a flexibilidade, harmonizando as formas do corpo.

No Pilates com a bola, trabalha-se com as camadas mais profundas da musculatura de maneira muito eficaz. A bola permite a execução ideal dos exercícios, pois é muito comum que os músculos mais fortes “roubem” o direcionamento da força.

Os exercícios são apresentados de forma bem simples, evitando as séries com infinitas repetições.

SALTO ALTO x CORPO

Salto alto

Até para os leigos fica fácil identificar que o uso de sapato com salto alto não deve ser favorável para o bem estar do corpo, já que o peso desse corpo não fica distribuído de forma equilibrada, colocando pressão adicional sobre as pontas dos pés.

Mas os saltos altos fazem parte do guarda-roupa feminino ……

ALGUMAS INFORMAÇÕES PODEM AMENIZAR OS PROBLEMAS DO USO DIÁRIO DO SALTO ALTO

FICA A DICA….

Saltos menores de 3 cm, por exemplo, a distribuição do peso é feita pelo pé: 50% do peso no calcanhar e 50% nos dedos dos pés. Já em saltos maiores, de 6 cm, esse peso fica 90% na frente do pé e apenas 10% no calcanhar. Isso pode levar a calosidades, joanetes, entorses e outros tantos problemas de coluna e joelhos.

O salto alto faz com que haja uma pressão maior sobre os JOELHOS, agravando a inflamação e o desgaste das estruturas de suas articulações. Ele obriga também que a sua postura se incline para frente, projetando o peso do corpo para a ponta dos pés. Isso faz com que a COLUNA se dobre mais para manter o equilíbrio. É por isso que os saltos altos são tidos como um dos grandes causadores das dores lombares! Já com as PANTURRILHAS ele exige que elas estejam quase sempre contraídas. Isso pode provocar um encurtamento dos músculos.

ACONSELHAMOS …..

Se precisa mesmo usar salto alto, alterne entre um salto alto e um salto médio, massageie os pés no final do dia para ajudar a restabelecer a circulação e alongue as panturrilhas, e por fim prefira saltos quadrados, pois oferecem maior estabilidade.

Tratamento de Hérnia de Disco – Método McKenzie

hernia de disco

A dor na região lombar é uma reclamação comum e afeta praticamente todos em algum momento da vida adulta. Ela costuma ser recorrente, com crises se tornando mais frequentes e incapacitantes com o passar do tempo. A maior parte dos casos de dor lombar é de origem mecânica. Isso quer dizer que a dor é causada pelas estruturas envolvidas com o movimento e a sustentação de peso, e que determinados movimentos ou posições podem fazer a dor aparecer ou aumentar.

Quando sentamos por alguns minutos, os músculos que sustentam a coluna se cansam e relaxam, nosso corpo se dobra e nossa postura fica “relaxada”. Isso causa o alongamento excessivo dos ligamentos e das estruturas ao redor da coluna e consequentemente a dor aparece. Se essa postura vira um hábito recorrente, os discos intervertebrais começam a se deformar  e assim  outros movimentos e posturas passam a produzir dor.

A hérnia de disco ocorre quando o disco intervertebral se deforma permanentemente e atinge a raiz do nervo, podendo gerar dor irradiada, parestesia, perda de força, de reflexo, de sensibilidade e dificuldade para urinar ou reter a urina.

O fato de ter sido diagnosticado com hérnia de disco, não significa que seu caso é grave ou que necessite de cirurgia. Muitos estudos demonstraram que menos de 10% dos pacientes com esses diagnósticos realmente precisam de cirurgia. Os pacientes que iniciam seu tratamento com o Método McKenzie tem seus sintomas e queixas resolvidas rapidamente com o tratamento durando em  média 5 sessões.