Dores do Crescimento

crescimento 3

A chamada “dor de crescimento” é causa comum de reclamações nos consultórios pediátricos e ortopédicos e é caracterizada por dores, sensação de peso, queimação, formigamento, latejamento. Sendo localizados na panturrilha, coxas e principalmente na região ao redor dos joelhos. Porém este incômodo que atinge a aproximadamente 20% das crianças não é considerado uma doença, tendo suas causas ainda não definidas.

Algumas hipóteses tentam explicar a origem dessas dores relacionando os sintomas à distúrbios emocionais e crises própiras da idade ( nascimento de um irmão, ingresso na escola, mãe trabalhando), fatores genéticos já que a maioria dos pais dessas crianças também tiveram as mesmas reclamações durante a infância e a atividades físicas de alto impacto que causam micro lesões.

Os métodos para tratar as dores não são específicos. Algumas crianças beneficiam-se da prática de esportes de baixo impacto, alongamentos, massagens e compressas de água quente. Em casos de dores fortes é indicado o uso de analgésicos via oral, porém sempre é aconselhável a supervisão de um médico.

Advertisements

Estabilização Segmentar

4

A estabilização segmentar é fruto de pesquisas realizadas na universidade de Queensland, Austrália, a partir da observação de tratamentos tradicionais para lombalgias. O conceito divide os músculos que estabilizam a coluna em dois sistemas, o global que é formado por grandes músculos como o reto abdominal, oblíquo externo, glúteo máximo; e o local, formado por músculos ligados diretamente à vértebra, como o transverso do abdômen, multífidos, diafragma e assoalho pélvico.

Os exercícios são desenvolvidos para que haja contração especifica de cada músculo componente da coluna para fortalecer e estabilizar. Também são associadas ao exercício técnicas de respiração que priorizam a percepção de cada contração. O tratamento é comprovadamente eficaz para lombalgia e é aconselhável para ser utilizado paralelamente a outras terapias como o conceito Maitland, mobilização neural e outras.

Mobilização Neural (Neurodinâmica)

neuro1

 

A mobilização neural é uma terapia manipulativa que consiste na mobilização do sistema nervoso através de movimentos tensionantes ou oscilatórios realizados nas articulações pelas quais os nervos trajetam. As queixas de dores podem estar associadas a hábitos posturais ou movimentação inadequada. O tratamento é indicado para cefaléias, síndromes compressivas, entorses, fascite e lesões mecânicas.

Os fisioterapeutas avaliam o paciente através de testes específicos para relacionar a influência do sistema neural e as dores, com o intuito de selecionar a melhor abordagem para o tratamento da patologia.

A Importância da Educação Física nas Escolas

foto__61__1

 

Começa como uma brincadeira, um jogo de pique pega, queimada, futebol, mas na verdade é muito mais do que uma simples diversão. Por trás de cada atividade seja ela lúdica ou um esporte, existe o intuito de promover a integração, o conhecimento do corpo e despertar o aluno para a descoberta de talentos em algum desporto específico.

As aulas seguem as normas do MEC sendo obrigatórias em todas as escolas e cada instituição de ensino planeja suas atividades de acordo com sua filosofia pedagógica.  As aulas de educação física não refletem somente no corpo do aluno, mas também em todo o processo de aprendizagem, ajudando na concentração do aluno e desenvolvimento psicomotor.

Incentivem seus pequeninos! Faz bem para o corpo e para a mente. 

Terapia Miofascial

Miosfascial 1

 

A fáscia nada mais é do que um órgão fibroso semelhante a uma película que envolve, separa, liga e protege todas as estruturas do corpo desde o cérebro até às plantas dos pés. Tem como finalidade dar forma ao corpo, transmitindo tensões, e sustentando músculos e órgãos. Alguns dos fatores que contribuem para a tensão da fáscia são relacionados a stress, postura incorreta, choques emocionais, traumatismos e processos inflamatórios que por consequência acabam afetando o funcionamento de todos os sistemas do corpo.

O tratamento inicia-se com uma leitura de hábitos e padrões posturais a fim de definir pontos estratégicos onde se encontram tensões. Após esta leitura corporal, o fisioterapeuta utilizando-se de técnicas manuais e pressões, comprime as áreas tensionadas com o intuito de eliminar espasmos e tensões musculares e fazendo com que o tecido nervoso protegido pela fáscia assimile as novas informações e reeduque as áreas atingidas.